13 de set de 2015




Sempre disse em meus textos que o mundo dá voltas e que amo elas. O destino, a vida, Deus... do que quiser chamar isso, se encarrega de colocar tudo no lugar, de dar vitória a quem lutou para isso, de dar castigo a quem só se aproveita de pessoas e situações, de dar amor a quem merece, de dar desprezo a quem não reconhece a grandeza desse sentimento.
Tudo tem seu momento, embora nós, ansiosos, sempre esperamos para ontem tudo o que acabamos de plantar... E acredite, acontece. Na hora certa, no momento que vc estiver pronto para colher, virá o que estava sendo preparado pra vc.
Mesmo com pouca idade, já sofri bastante nessa vida, como inúmeras pessoas que lêem meu blog. Cada um carrega sua cruz. Já fui traída por amigos, amores, família. Já passei por cima de tudo isso pelo amor que sentia por todos eles... aprendi a lidar com a decepção. Ela nunca vem de quem esperamos, por isso é um grande TAPA na cara.
É muito bacana chegarmos no final do livro com uma lição de moral... parece tão simples. Sofreu? Doeu? Beleza. Passou. Siga em frente.
Mas aí, começar a escrever um novo livro, uma nova história, caminhar uma nova jornada... isso não é tão fácil quanto parece. Tentar acreditar de novo em alguém, confiar, colocar o coração e a vida á disposição para um novo tapa na cara. É meu jovem, não é tão fácil quanto aparenta. Mas...
Descobri com o tempo que os livros não se escrevem sozinhos... que se você não começar a escrever a sua história agora, ela simplesmente passará, cada página, cada dia, como se nada fizesse real sentido.
Sempre me senti muito independente - e sou - tanto de sentimento, quanto de dinheiro, quanto de planos e sonhos. Eu sempre fiz questão de viver tudo que EU me permitia, de lidar com meus problemas, de vencer os obstáculos, de alcançar as metas que eu fazia para mim. Nunca contei com ngm para isso e nem precisei. Isso posso falar, uma coisa que sou, é auto-suficiente. Me basto, me sinto bem sozinha. Não vou mentir que como qualquer outra pessoa, me bate carência, vontade de ter alguém para dividir um momento bacana, uma conversa boa ou simplesmente para dar um boa noite antes de se deitar... mas isso nunca foi prioridade para mim.
Eu sempre me vi melhor sozinha. Assim, não magoo ngm e ngm a mim. Simples né?
Alguém para se dar um beijo aqui e ali sempre tem, sozinha eu não ficaria se quisesse... mas isso, no final, é tão vazio.
Vc beijar alguém, trocar meia dúzia de palavras, se tocarem, se olharem... e depois cada um segue sua vida, beijando, tocando e trocando olhares com outras dezenas de pessoas. Vc deixa um pedacinho seu em alguém e ai... essa pessoa faz coleção de pedacinhos de pessoinhas hahahaha
Qual sentido fez isso que eu falei? Ok, sem degavar Alyane, volta.
A questão é que surgiu alguém. Apareceu uma pessoa que está me fazendo mudar um pouco meu conceito a respeito das pessoas. Alguem que está me mostrando que é preciso confiar, se entregar, apostar as fichas... Alguém que tem me mostrado uma forma diferente de escrever as páginas do meu livro. Escrever juntos, traçar a história, trilhar o caminho sem medo, sem receios, sem expectativas ou esperança excessiva... simplesmente escrever. Viver.
Esse alguém tem me feito bem, me surpreendido a cada dia, se mostrado qualidades que eu já não acreditava que existiam nas pessoas.

Estou assim, pronta para arriscar. Quero escrever um novo livro, com histórias diferentes, sem tanta frustração... quero poder comandar meu próprio script, minhas próprias escolhas. Aprender a dividir minhas histórias e minhas páginas..

Era uma vez... uma mulher que decidiu apostar suas fichas.
Acredito que esse livro dará um bom enredo ;)
Aguardemos os próximos capítulos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

\õ/