16 de mar de 2012

Mente que vaga

Sei que parece clichê, mas a culpa não é sua.
Prefiro pensar que também não é minha. A culpada da história é minha mente.
Não posso me acostumar, não posso considerar rotineiro, não posso achar monótono que minha mente vagueia. E ela não pode vagar.
Quando minha mente vagueia, ela consegue pensar em "n" possiblidades de estar mais feliz do que está agora, naquele momento.
Ela consegue pensar em outras situações, outros sorrisos, outros lugares, outras pessoas...
Te peço, não deixe minha mente vagar.
Não quero pensar que poderia estar mais feliz do que agora, até porque acho que não conseguiria sorrir mais sinceramente do que sorrio hoje... mas minha mente sempre pensa o contrário.
Ela sempre fez isso. Todas as outras vezes, ela fez isso.

Não deixe minha mente vagar.
Por favor, não me deixe partir.

6 de mar de 2012

Sempre disse que quero escrever meu livro por volta dos 40,50 anos porque assim teria muitas histórias para contar... mas me enganei. Eis aqui eu, com um passo para meus 20 e tendo tanta bagagem, tanta coisa a dizer que gastaria livros, enciclopédias e por aí vai.
A cada dia se aprende um pouco mais, errando ou não aprendemos.

Mas sempre acreditei na utopia de um livro que fosse mais como um conto de fadas.
Por mais que a mocinha sofresse e encarasse muitos vilões e situações horríveis, ela daria a volta por cima graças aos seus verdadeiros amigos e seu amor que junto com ela, seria feliz para sempre.
Não sei se é bem assim, porque meu livro é como se cada dia fosse como ler 300 páginas do primeiro capítulo... ainda tem muita coisa pela frente como dá para perceber.
 Não sei se o felizes para sempre vai acontecer no final, espero que sim... o jeito é ir lendo, ir vivendo para ver o que dá.

5 de mar de 2012

Confiança

Algumas pessoas usam a palavra confiança tão metamoricamente falando que parece que o sentido real dela está esquecido faz tempo.
Confiar, depositar tamanha fé em algo ou alguém que não precise de provas, não precise de testes.
É simplesmente acreditar na boa índole, no bom caráter, na boa intenção, na boa fé.
Mas esquecemos que o que mais tem por aí é gente afim de aproveitar de gente que confia.
Esse dias minha mãe foi assaltada. Ela estava sentada com uma mulher que conheceu na danceteria e assim que levantou para dançar, deixando sua bolsa na mesa, perdeu sua carteira com todos os documentos, cartões, dinheiro...
Minha mãe confiou naquela mulher. E se ferrou.
Minha amiga se apaixonou  por um cara que não conhecia muito bem, era de outra cidade.
Começou a namorar, depositou suas fichas no relacionamento, apresentou pra família, amigos... depois de uns meses o cara some, não dá satisfação e ainda surge namorando outra pessoa em algum outro lugar do país... bem longe dela.
Existe "n" formas de se ferrar quando se confia. Decepção é algo constante na troca de confiança.
Entendam:
CONFIANÇA é algo importante, doado apenas á pessoas raras e que merecem. Não dê a sua a qualquer um, você vai acabar se ferrando e indo chorar numa rede social que ninguém no mundo presta, que não existe amizade sincera, amor verdadeiro ou qualquer coisa do tipo.
Assuma, você é que confundiu ovelha por lobo. Se situe e não cometa o mesmo erro novamente. É assim que se aprende.