28 de jan de 2011

Caixa de lembranças


Incrível como o tempo passa rápido e as lembranças vão se tornando fracas ou até escassas.
Momentos que dizíamos serem inesquecíveis, foram esquecidos.
Amizades que dizíamos serem eternas, se foram.
Fotos e cartas, palavras e pessoas que te marcaram de alguma forma.
É muito bom reviver tudo isso, é um efeito flahs back... como se a fita da nossa vida fosse 'rebubinada' e pudéssemos viver tudo aquilo de novo.
Guardo nessa caixa não só fotografias e cartinhas. Guardo aqui alguns sentimentos e também a nostalgia.

É perigoso reabrí-la. Não se sabe o que pode vir á tona.
Sentimentos não são fáceis de manusear como fotos.
São atemporais. Não se fixam numa fotografia, não se prende um momento num pedaço de papel.

A caixa das lembranças pode não ser aberta.
Mas e as lembranças guardadas no coração?

gosto de verde,

mas se bem que... não não, gosto mais de azul.



Ok, com cores, com opiniões, com roupas, com estilo, com gostos isso tudo acontece. Se muda a todo o tempo, nossa vida, nossos corpos e inclusive nossas mentes estão em constante mudança, uma completa metamorfose.
Mas mudar a cada dia de sentimento... bem, isso é outra coisa.
Não acredito naquela frase clichê: Para curar mal de amor, só um novo amor.
Não mesmo, se fôssemos pensar assim.. haveriam apenas desilusões amorosas e corações partidos em todo o mundo.
Trocar de namorada a cada dia não mostra o quanto você é pegador e sim o quanto você não se importa com o sentimento das pessoas.



Ser inconstante e mudar é normal.
Ser imoral e FÁCIL é fútil.

Honra ou Vergonha?

Eu creio em Jesus Cristo como o meu salvador. Eu tenho orgulho disso, eu tenho HONRA em assumir que sou filha do Deus todo poderoso.


Você, crente que vai na igreja todos os domingos e você que carrega um crucifixo como se fosse uma placa que diz: eu creio em algo...
Você tem orgulho de falar sobre Deus? Você tem orgulho de dizer que não vai á uma festa mundana para ir orar? Você tem a honra de dizer que é salvo?
Você tem vergonha de falar sobre a bíblia? Você tem vergonha de sair pra evangelizar com a sua igreja? Você tem vergonha de ser crente? Sente vergonha de Deus?

Teria que sentir vergonha por não ter orgulho de ser escolhido.
O certo era darmos graças á Ele todos os dias por tudo, mas nós além de não agradecermos, o ignoramos.

Sabe quando você faz o seu melhor pra alguém e não ganha recompensa alguma, nem mesmo um agradecimento?
Pois é, é isso que fazemos com Deus todos os dias.
Ele faz o seu melhor, ele nos dá um dia a mais de vida, ele nos dá amigos, nos dá família, nos dá alimento, nos dá bênçãos... e você?
Agradece? Retribui de alguma forma?

Pense nisso.

Amor fictício

Romance literário.



Agora estou lendo um livro do Nicolas Sparks, "Cartas para Jhon".
O livro retrata um caso de amor que começa da forma mais inusitada (como na maioria dos romances em filmes e livros) e acaba se tornando um caso de amor avassalador e etc e tal.
Incrível como que mesmo não sendo real, nos afeta, não é mesmo?
Ingênua. O livro dizia que a protagonista era um pouco ingênua. Ela acreditava em amor, em alguém que a fizesse sentir algo diferente de qualquer outra coisa e que a amasse igualmente ou mais.

Eu sou a ingênua.
Eu espero o cara o livro, eu espero alguém que me faça viver um desses romances literários.
Amor fictício, esses que vendem nas bancas, esses que alugam em locadoras.
Quero um amor desses, mas que seja real.
Quero tê-lo escrito nas páginas da minha vida.
Quero fazer o script conforme o meu querer e colocar o felizes para sempre como em qualquer filme de romance clichê.
O filme e o livro são meus, eu que faço o final.


Mas, e o início?

24 de jan de 2011

não creio apenas pelo meu fim,

creio pelo meu agora.


Não deixo de viver e de fazer loucuras, de curtir, de sair com meus amigos, de dançar e cantar por quê creio em Deus. Pelo contrário, é por Ele que vivo, faço loucuras, curto, saio com amigos, danço e canto.
Não creio por ter medo do meu fim. Não creio por ter medo de chegar a minha hora e eu ir para o inferno, para um purgatório qualquer ou sei lá o quê. Não creio para ter algo em que crer. Não creio por medo.
Há muitos falsos deuses por aí, há pessoas que acreditam em imagens, há pessoas que acreditam em vidas passadas, há pessoas que só acreditam em si.
Eu acredito no meu Deus, no eterno Pai. Creio Naquele que morreu só para me salvar e não precisava fazer isso, mas fez.
Se fez pobre, humilde, vulnerável para que soubéssemos que Ele é Rei, único e poderoso e ainda sim se importa conosco.
Está escrito, tudo Ele fez para que crêssemos nele e acreditássemos em sua palavra.
Então, outros vem e duvidam da Bíblia.
Duvidam da verdade, duvidam até mesmo daquilo que acreditam.

Eu sei, você que diz não acreditar em Deus, não acreditar em nenhuma verdade... você se preocupa.
Você pára por vezes para pensar se está equivocado ao se revelar ateu, ou até mesmo por acreditar em imagens, santos e afins.
Você tem medo de quando o fim chegar, talvez um dia chegue a crer por isso.
Você tem medo de Jesus voltar, como Ele prometeu e você não estar preparado.
Você tem medo da verdade que você diz acreditar, for mentira.

Eu creio porque existo. Eu creio porque sei que não nasci por acaso. Eu creio porque a cada dia Deus supre minhas necessidades e nos momentos bons e ruins está ao meu lado.Eu creio porque vejo Deus em todas as suas obras, eu creio porque vejo Ele restaurando vidas, transformando pessoas.
Eu creio porque ele me transformou, ele me resgatou.
Eu creio porque sou salva e creio pelo meu agora.
Creio pelo meu fim sim, sei que estarei no céu com Ele quando minha hora chegar.
Mas creio que Ele já está comigo agora. Por isso, é por isso que creio.

22 de jan de 2011

você me destruiria?

Amar é permitir que alguém possa te destruir.
E confiar que isso não vai acontecer.


Li essa frase em algum lugar e a achei completamente verídica.
Amar, de fato é assumir esse risco. Porque o sentimento do amor é maior do que qualquer pessoa e mais forte do que qualquer coração de pedra.
Garantir que não vai se apaixonar é o mesmo que previsão do tempo. Isso pode mudar a qualquer momento.
Não se pode garantir sentimentos, eles simplesmente... acontecem.
Amar é confiar, é se entregar de corpo e alma, é revelar segredos, é compartilhar momentos, é se tornar vulnerável.
É confiar nas palavras e atitudes, é sentir medo de perder, é não ter medo de arriscar.

É como a borboleta que tem toda a liberdade de voar e escolhe pousar nos seus ombros.


dizem que eu não sou capaz

dizem que eu não vou vencer, não é na minha força mas sim em nome do meu Deus! ♪


Hoje, os seus sonhos e seus planos são feitos pensando em que? Ou melhor, em quem?
Ganhar dinheiro, conquistar horizontes, se formar e conseguir um bom emprego, casar, ter filhos, ser feliz?
Pois os meus sonhos e meus planos não me pertencem mais, são todos unicamente de Deus e eu os cumprirei e o vivenciarei se da vontade dEle for.
Alguém melhor do que nosso pai pra saber o que é melhor pra nós? Eu confiei minha vida, meu futuro, meus planos, sonhos e metas á Ele e estou confiante.
Muitos são os que dizem que não vou conseguir, muitos são os que me desestimulam, mas se Deus é por mim... quem será contra mim?

Abro mão dos meus sonhos, abro mão dos meus planos, abro mão da minha vida por Ti
Abro mão dos prazeres e das minhas vontades, abro mão das riquezas por Ti
Estou apaixonado! (♪

Pois nada me adiantaria ter de tudo nesse mundo, dinheiro festas, alegria momentânea se não houvesse a salvação e misericórdia do meu Deus... de nada adiantaria.

E é por isso que meus sonhos hoje são Teus meu Deus, porque não quero que outros vivam no engano como eu vivi.
Eu não quero que outros sejam apresentados á falsos amores, á falsas amizades, á falsas verdades...
Quero que compartilhem comigo do reino dos céus, que tenham alegria eterna, que vivam Contigo quando a hora chegar.

Meu plano maior é espalhar Tua palavra á todos, o resto o Senhor me acrescentará... eu sei disso.


"Mas, buscai primeiro o Reino de Deus , e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas" Mt. 6:33

13 de jan de 2011

Perdoai as nossas dívidas,

assim como nós perdoamos os nossos devedores.



Assim que deveria ser, diz assim a oração mais conhecida entre crentes e ateus no mundo todo.
Mas na prática são outros quinhentos. Porque é tão difícil perdoar?
Se Jesus, que humano se fez para se igualar á nós e nos dar a salvação foi criticado, humilhado e julgado injustamente por nós e ainda fez isso tudo por amor e nos perdoa a cada dia, como nós não conseguimos perdoar um colega que te magoou, uma palavra que te ofendeu, uma atitude que não te agradou?
Em nossa pequinês, devemos pensar e começar a praticar o que oramos e pensamos.
Somos filhos de Deus e devemos cumprir o que diz sua palavra.

Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou:
“Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?”
Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete."

 Perdoe.

Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna. Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e seus filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida.
O empregado, porém, caiu aos pés do patrão, e prostrado, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo’. Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida. Ao sair dali, aquele empregado encontrou um de seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’. O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei’. Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia. Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: ‘Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’ O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida.
É assim que meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”.

"A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável" e o que é de mérito nosso, nosso será independente de qualquer outra coisa. Deus é justo, acima de tudo.
Colheremos o que plantarmos... então não julgue os atos de alguém hoje, até porque você não é ninguém para julgar ninguém. Não julgue, pois amanhã pode ser você o julgado.

Que jogue a primeira pedra quem nunca pecou, quem nunca falhou.
A pedra está nas suas mãos. E a escolha também.

Por Camila Zaponi

Um cristianismo assassino de Deus



Não tenho heróis. Heróis são artificiais, chatos, enfadonhos...

Não gosto de heróis. Eles são sempre perfeitos, tão certinhos, nunca falham e nunca perdem.

Os heróis são de outro planeta. Talvez por isso eles sejam tão diferentes das pessoas comuns, que tem fraquezas, falhas, que choram, e morrem.

O “cristianismo” está cheio de heróis. Salvadores de homens, curandeiros portentosos, perfeitos e absolutos, acima do bem e do mal, sócios do criador, redentores da pátria que os pariu!
Não, meu amigo, eu não vou te salvar! Não olhe para mim como quem olha para um deus, nem espere de mim mais do que eu posso te dar. Não sou teu herói.

Sou vilão! Vilão da minha própria história. Sou a dualidade dos versos do Lenine, e levo no peito “uma vontade bigorna e um desejo martelo”.

Sou um mendigo carente de indulgência, assim disse meu irmão Lutero. Um mendigo carente, dependente da graça, viciado em misericórdias que se renovam à cada manha, e com muita saudade do tempo em que éramos apenas humanos – meramente humanos! – pérfidos pecadores, conhecedores do pior que há em nós.

Saudade do tempo em que não éramos heróis...

Sim, eu tenho saudade daquele tempo. Do tempo em que éramos tão vis, que não hesitávamos em cair prostrados, rosto em terra, suplicando perdão a Deus por nossas faltas. Do tempo em que não usávamos racionalização para exorcizar nossos demônios, que nos arrependíamos mais do que justificávamos, saudade do tempo em que precisávamos de Deus.

Não, não foi Nietzsche que matou Deus. Fomos nós que o “matamos”! A nossa arma? A auto-suficiência.

Quem lê, entenda.


12 de jan de 2011

~ Buteco da vida

Desce mais uma rodada pra mim! Mas não de bebida... de nada vai adiantar me embriagar agora.
Desce uma rodada de perguntas sem respostas, de dias incertos, de escolhas no escuro.
Quero encher a cara do que a vida tem de melhor pra me dar.
Quero beber até cair de amores, quero mais uma dose de paciência e por favor limão e gelo nos problemas que vierem!
Quero ficar bêbada de amigos e ter muitas histórias pra contar das farras que fiz...
Quero ser feliz antes que o bar feche suas portas.


11 de jan de 2011

comunidades, status, orkut e outros relacionamentos

Já não consigo me lembrar da época que namoro era algo sério, que o garoto pedia a mão da mocinha pra família e andar de mãos dadas era algo mágico. Aquela época em que um pedido de namoro era a entrada para um pedido de noivado que renderia um belo casamento. Tudo bem que antigamente até os motivos de se casar eram outros... o marido que te desse uma boa vida e ganhasse muito dinheiro era um ótimo partido. Mas também existiam os casos em que o amor era o maior interesse entre um casal.
Hoje em dia o ápice de um 'relacionamento', se é que podemos chamar assim, é mudar o status do orkut para "namorando".
Se é que podemos chamar de relacionamento o que hoje em dia consideram o namoro. Hoje em dia, trocar de namorado é quase mais comum do que trocar o sapato do inverno pelo do verão, porque é o que está na moda.
Mostrar ás pessoas que você está namorando com um cara é quase mais importante do que o próprio cara. As pessoas se importam mais com um status do que com o seu parceiro --'
ALOU, como isso foi acontecer? Como que antigamente um beijo era muito difícil de ser conquistado e hoje em dia se encontra na boca de qualquer um? Como que antes, nos guardávamos para um garoto que realmente amássemos e sonhávamos com o tão esperado casamento e hoje é mais fácil encontrar uma garota de 15 anos com uma doença sexualmente transmissível do que uma virgem?
Comunidades revelam muito o que pensamos, somos e acreditamos.
Entrar numa comunidade que diz: sou gatinha, sou linda e me garanto não dirá o que de melhor você tem né? HUMILDADE
Entrar numa comunidade que diz: Chefe é um porre, é uma ótima forma de perder o emprego que você custou a conseguir depois de adicionar seu patrão no orkut.
Entrar numa comunidade que ofende outra pessoa/religião/sexualidade é uma forma de ser chamado: preconceituoso.
Redes de relacionamento servem pra muitas coisas hoje em dia, não é mais apenas uma forma de se manter contato com amigos e parentes afastados mas também, de se conhecer pessoas, fazer novas amizades e até receber oportunidades de emprego e estudo.
O problema é que 90% vêem orkut, facebook, twitter e etc como forma de zuar e se exibir.
Os 10% que os usam de forma bacana, saudável e correta é raríssimo de se ver.
Hoje em dia é mais fácil se relacionar por orkut e twitter do que pessoalmente.
Se namora para mostrar para outras pessoas. Se tiram fotos não como lembrança, mas para poder provar para as pessoas que duvidarem, de que de fato aquilo aconteceu. Se muda o status de relacionamento no orkut para fazer inveja em suas 'amigas'.
Você está fazendo isso ERRADO.

Quando vamos viver para nós mesmos e não para outras pessoas?
Quando vamos começar a viver e não apenas PARECER viver?
Parecer ser feliz, parecer amar, parecer curtir?

Casa, comida e café coado (por Brena Braz)

“Por isso que esses moços de hoje não querem se casar. Essas moças de hoje não sabem coar um café”. E de repente, anos e anos de indagação se resolviam de uma forma simples e objetiva. Meu avô acabava de pronunciar a sábia frase que respondia a grande questão que assola o universo feminino. E, sabe de uma coisa? Se pararmos pra pensar, meu avô está certo.

Antigamente casamento tinha um outro sentido. Na época dos meus avós, casamento era pra sempre. A mulher parava de trabalhar, de estudar ou de fazer qualquer coisa que fosse, pra se casar e virar esposa. Não havia outro sentido pra vida que não fosse aquele. Ser mãe e esposa. E era por isso que os homens se casavam. Pra ter quem cuidasse da casa enquanto eles trabalhavam pra sustentar a família. A mulher ficava em casa “coando café” e cuidando dos filhos enquanto o marido saía. Pra trabalhar ou pra sei lá o que fosse.

Até que um belo dia, a mulher plantou o pé no saco de café e resolveu sair de casa pra trabalhar. E se fudeu. A mulher passou a ter que trabalhar, cuidar dos filhos, cuidar da casa. E coar o café. Só que agora, o café é pra ela. O homem ficou meio perdido no meio dessa história. E o casamento como conhecíamos perdeu a razão de existir.

No fundo, bem lá no fundo, eu acredito que todo homem pensa que “Amélia é que era mulher de verdade”. E que a esposa ideal é aquela meio burrinha que acredita que a marca de batom na camisa é molho de tomate. Aquela que acha lindo quando ele diz que chegou às onze em casa porque estava numa reunião (mesmo não entendendo o cheiro de cerveja e perfume barato no sujeito). Um cidadão uma vez me disse que “mulher feliz é mulher ignorante”. É meio que isso. Aquelas tapadas que acreditam no molho de tomate na camisa.

Uns cinco ou seis anos atrás, li numa Veja uma pesquisa que dizia mais ou menos a mesma coisa. Que os casamentos que davam mais certo eram aqueles entre homens com QI mais alto com mulheres com QI mais baixo. Não só o QI, mas escolaridade, classe social e alguns quesitos do tipo contavam. Em resumo: casamento que dá certo é aquele em que um bonzão-fodão se casa com uma anta-tapada. Ou seja, um cidadão muito foderástico com uma topeira total tem chance de ficar anos e anos casados. Um cidadão foderástico com uma cidadã igualmente foderástica, as chances de dar certo são tipo nulas. Acontece que as antas e topeiras estão cada vez mais perto de entrar em extinção. E o casamento idem.

Existem ainda aquelas que se fazem de sonsas pra manter o casamento, mas de sonsa não têm nada. Não sei. Eu não teria tanto sangue frio. E acho que comigo não funcionaria. Ao primeiro sinal que me desagradasse, a casa ia cair. Nunca me imagino casada cuidando de filho enquanto meu marido passa o final de semana na rua. Sabe as chances disso? Nulas. Negativas. Zero. Tenho dó de quem vive isso. De verdade mesmo que tenho. Acho que ninguém consegue ser feliz assim. O casamento feliz hoje tem um novo conceito. A mulher deixou de ser aquela que fica em casa coando o café e passou a ser companheira do homem. E nem todo homem entendeu isso ainda. A maioria ainda procura a Amélia. A ignorante feliz. Tenho um pouco de dó. Dos homens, claro. Porque eles estão procurando uma coisa difícil de se achar hoje em dia. Melhor comprarem um coador de café logo.

10 de jan de 2011

dizer não

Parece tão fácil... parece.
Dizer um basta, dizer que não dá mais.
Porque na hora que se deve dizer algo, a voz se cala?
Porque mesmo sabendo o que se deve falar, o que se deve fazer, nada se faz, nada se fala?
Quando se tem que partir as pernas não se movem, quando se deve ignorar os olhos não se desviam, quando se deve calar os lábios não se fecham, quando se deve dizer não... o sim escapole entre os dentes.
E mesmo sabendo que tudo isso vai se repetir e que no final quem vai sair magoado novamente é você, tudo se repete. E o não de novo se esconde.
Basta. Não dá mais.


Quando enfim você conseguir dizer isso, espero que ainda reste algo de sentimento em seu coração.

MEDO


Eu tenho tanto medo de ser medrosa que acabo de me contradizer e também tenho medo disso.
Tenho medo de não saber me expor... se falando não consigo me expressar e por palavras escritas sempre fiz isso, se eu perder o dom de escrever eu estarei perdida, correto? Serei a pessoa mais imcompreendida do universo e por mera incompetência minha.
Medo de me apaixonar e quebrar a cara.
Medo de me iludir ou deixar alguém se iludir comigo.
Medo de falhar ou de não tentar.
Medo de sentir tanto medo.
Medo do incerto, medo do inseguro, medo do amanhã.
Medo da atitude, medo da falta dela.
Esses medos vão se dispersando aos poucos, hoje em dia me sinto mais corajosa.
Apenas um medo ainda me consome: o de não ter medo algum.

Inconstante,

imperfeita, inquieta, indecisa.



Como amar alguém assim? Como conseguir gostar de defeitos? Como não ter raiva de alguém que um dia te quer perto e no outro não quer saber de você? Como entender uma garota que pensa SIM em um dia e no outro afirma ser NÃO?

Pergunte isso á quem diz que cada característica que ela pensa ser defeito, ele vê como qualidade e que a considera única em meio á tantas falsas cópias que podem até tentar chegar aos pés dessa inconstante mulher, mas jamais conseguirão ter ao menos uma parte da personalidade que ela esbanja em meio á sorrisos e olhares.

6 de jan de 2011

Há tantos que vivem sem viver um grande amor ♪


"Eu que sonhei por tanto tempo em ser livre, me prenda em seus braços... é o que eu te peço" (♪

São tantos os que procuram um amor, um alguém em quem pensar num dia chuvoso, um sentimento que faça saudade.
São tantos os que fogem de um relacionamento, que têm medo de se entregar, medo de se ver refém de um sentimento.
São tantos os que sem procurar um amor, o encontram. São tantos os que morrem esperando.

Eu sou uma dessas que preferia morrer sozinha do que amar alguém.
Amar torna algumas pessoas inseguras, incertas e inconstantes. E, cá pra nós eu já sou isso tudo sem amar alguém, quanto mais apaixonada.