1 de jul de 2010

meus pitis...


Não entendo o motivo de algumas pessoas insistirem em gostar de mim.
Meus defeitos são tantos e tão irritantes que me incomodam.
Sou inconstante. Talvez a inconstante mais inconstante que exista.
A pior das bipolares.
De manhã estou feliz, animada e falando pelos cutuvelos.
De tarde estou nervosa, com cara de c* e distribuindo patadas grátis.
De noite estou triste, com vontade de ficar totalmente isolada do mundo e dos seres humanos e pensando em todas as coisinhas da minha vida, até na morte da bezerra.
Isso é todo dia. Não necessariamente nessa ordem.
Sou mandona e nervosa. Se as coisas não saem do jeito que eu planejei, isso acaba com meu dia.
Se as pessoas não agem como eu queria, eu fico extremamente irritada.
Se  eu demonstro meu sentimento e o mesmo não recebo em volta, eu mato o sentimento.
Se minha cachorra me desobedece, ela entende só de olhar pra mim que a coisa ficou feia pro lado dela.
Meus amigos mais chegados sabem quando eu estou prestes a bater a cabeça na parede até rachar a cabeça ou a parede, só de me olharem.
Sou implosiva. Eu morro de raiva, eu falto morder alguém.
Eu fico calada. Eu respiro e inspiro 524898755874 vezes pra não murrar a cara de alguém ou a minha.
Guardo tudo o que sinto e o que penso dentro de mim e não consigo colocar pra fora.
Isso acaba comigo. Chega uma hora que não consigo mais guardar tudo, me debulho em lágrimas no canto mais escuro do meu quarto, agarrada ao meu pequeno urso de pelúcia que já está acostumado a ser procurado nessas horas. Ele me entende muito bem sem eu ter que soltar qualquer palavra.
Ele não me pergunta nada, ele só fica junto de mim. Isso eu queria muito ter, mas das pessoas e não apenas de um urso.
Eu não funciono sob pressão. Nem adianta vir me cobrando nada, eu faço o que posso, o que sou capaz e até mais, mas não venha se impondo. Sei o que devo fazer e se não souber, pergunto e obrigada.
Sou orgulhosa. Não queria ser assim, mas...
Peço desculpas sim, claro! Quando acho que estou errada.
E quando acho que estou com a razão, esqueça.
Não conversaremos até você se redimir.
Eu sou ciumenta e carente.
É, eu preciso de muita atenção, de toda a atenção.
Me sinto facilmente esquecida e insignificante. Mas nem é tão difiícil assim lidar com isso, pequenas atitudes são o mais me fazem feliz... difícil é você descobrir isso.
Eu escrevo muito, coisas que ninguém lê.
Eu falo muito, coisas que ninguém escuta.
Eu me decepciono muito. Eu espero muito das pessoas.
Eu espero muito de mim mesma. Eu falho.
Eu quero alguém que reconheça que eu tenho todos estes defeitos e goste de mim justamente por eles.
Porque, qualidade por qualidade, é muito fácil gostar do que te atrai.
Lidar com tudo isso em alguém e no final ver que sem ela e seus pitis você não consegue sorrir mais...
isso é amar.

2 comentários:

  1. Gostei!
    Escreve bem!

    Se der, retribua a visita:
    http://ociopreenchido.blogspot.com/

    ResponderExcluir

\õ/