20 de jun de 2011

O jeito é voar

Pensei em vários assuntos para escrever, pensei em pessoas que convivem comigo, pensei em analisar as falhas e defeitos de terceiros... porque é muito fácil falar dos outros. Mas não. Decidi olhar para meu próprio umbigo e me auto-criticar. Não dizem que certas críticas são construtivas? Espero ser verdade.
Há pouco tempo atrás me achava pacífica DEMAIS, uma verdadeira mosca morta. Pessoas diziam e faziam coisas que me magoavam ou irritavam e eu ouvia tudo calada. Acatava e recuava.
Sabe o momento mais IRA da sua vida? Eu engolia seco e guardava tudo que desejava sair, dentro de mim.
Pedia desculpas mesmo quando a errada era outra pessoa só para evitar conflitos e discussões. Minha explosão eram lágrimas debaixo do chuveiro e só.
Mas, mudou.
Não engulo mais as palavras, elas simplesmentes saem da minha boca. Não tulero desaforo, solto tudo na cara. Sou orgulhosa e se achar que estou certa, não peço desculpa. Vai ficar de mal? Só lamento.
Arrependimento... isso sempre tem. Antes por não falar enquanto podia, agora por falar talvez mais do que devia.
Acho que arrependimento não seria a palavra mais adequada, talvez só aquela perguntinha que irrita em insistir: e se?
Se eu tivesse feito diferente? Se eu tivesse me calado ou se tivesse falado?
Não me arrependo... agora não mais.
Mudei e muito. Não corro mais atrás de novos amigos, conservo os que tenho; não mendigo atenção, dou valor a quem me dá; respeito quem me respeita mas não levo desaforo pra casa.

"E se alguém interessa saber
Sou bem feliz assim
Muito mais do que quem já falou ou vai falar de mim"


Sábia Maysa!
Agora, foi uma mudança boa ou ruim?
Me diz você.
 
Vieram me dizer que amadureci. Não sei. 
A lagarta cedo ou tarde vira borboleta independente da sua vontade.
Criei minhas asas... agora o jeito é voar!

2 comentários:

\õ/