8 de set de 2011

Psicologia

Antes de mais nada, não quero que pensem que sou nenhum revoltada.
Fico indignada sim, com muitos acontecimentos, muitas pessoas, muitas falas e atitudes... mas não vou sair tacando pedra em ninguém ou xingando ao léu.
Mas é para isso que servem os blogs, não é mesmo? Para desabafos, críticas, comentários aleatórios e até inúteis.
Outro dia li em uma revista que os blogs são espécies de diários virtuais, que podem ou não trazer alguma notícia significavelmente importante. Me senti uma 'escritorizinha' atoa na vida, que desabafa as mágoas na net pra poder fazer uma fama qualquer. Aff, não é bem assim.
Não tenho muito motivo para escrever e confesso que a maioria do que escrevo não é nada que vá carregar para o resto de sua vida como uma lição de moral, por exemplo... mas escrever me faz bem e é a única forma que descobri, até hoje, de colocar minhas idéias em ordem e não vou parar.
Estou em ano de vestibular e todos estão se dedicando muito pra poder passar nas melhores faculdades. Costantemente me perguntam qual o curso que tentarei e quando digo psicologia, muitos dizem só com um olhar: - nossa, psicologia? - como se fosse um curso inferior aos outros.
Pois digo que a maioria, se não todos, não sabem o quanto essa profissão é importante.
Não, seu hipócrita, não é apenas se sentar numa poltrona confortável e ouvir os problemas de gente que não tem amigos o suficiente pra conversar e então compra 50m do meu tempo para tal.
Não, não mesmo. Você não sabe o que é uma doença psicológica, não sabe como ela se manifesta, não sabe como surge, não sabe como afeta a vida de muita gente, não sabe que é mais frequente do que você imagina, não sabe como se trata. Aliás, mal deve saber que é uma doença né? Pra você deve-se chamar loucura.
Podem me chamar de ignorante, mas só se for por dizer que não sei, não conheço. Mas nunca farei um comentário de algo que eu não tenha realmente a certeza.
Não só porque convivi com isso, mas porque estudei e procurei conhecer muito o que pretendia fazer profissionalmente. Eu quero poder ajudar de alguma forma, as pessoas que passam pelo que eu passei.
Quero poder ajudar, nem que seja com uma conversa, com um conselho ou algo do tipo, as famílias que não sabem por onde começar quando descobrem um caso de esquisofrenia com seu pai, sua mãe, sua filha. Eu quero poder colaborar para a recuperação de alguém que surtou, que viu sua vida completamente desestabilizada, que tentou suicídio, que ouvia vozes dizendo coisas horríveis, que via pessoas tentando matá-la, que vivia em um mundo paralelo e totalmente amedrontador. Quero poder fazer sorrir, aqueles que choravam por achar que não havia solução, nem tratamento pra doença e nem pra dor que é ver alguém que amamos tão perto e ao mesmo tempo, tão distante. Quero poder ver pessoas que são completamente ignoradas pelo sistema quando doentes, terem seu lugar e viverem dignamente uma vida saudável que lhes é de direito.
Não acho que psicologia seja uma profissão menos significativa que qualquer outra.
Pelo contrário, acho ela ainda mais digna por ser tão despretensiosa e ter a importância que tem.





Alyane Baraky

4 comentários:

  1. Sentindo que minha brincadeira no face causou tanta revolta, sinto-me na obrigação de comentar esse post. Ao contrário do que possa parecer, sei sim sobre a importância dos psicólogos em muitas situações cotidianas. Sei também da limitação de suas atividades já que em um tratamento mais sério, como a própria esquizofrenia tão oportuamente citada, não pode cuidar da medicação, função essa de única e restrita responsabilidade do psiquiatra. Sei também o que é passar anos e anos visitando consultórios e consultórios de psicólogos na tentativa de curar uma profunda depressão que já me levou a tentar contra a vida, e sair de cada um deles cansado de ouvir abobrinhas. Houve uma que pediu que eu chingasse uma almofada. Ao fazer o comentário no face, eu apenas tentei, de forma errada pressuponho, mostrar que as confusões que no momento assombram sua cabecinha, não interferem em nada no estudo e posterior prática da psicologia. Desculpe se a ofendi.

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda assim, não concordo com você.
    Limitações é óbvio que todos tem, porque com um psicólogo seria diferente?
    Sei como é complicado, também já pude conviver com a depressão e sei que não é fácil, encarar tudo sozinho também não ajudou que eu sei.
    Até mesmo os medicamentos, não são certeiros e nunca 100% eficazes.
    Só expressei minha opinião e eu que peço desculpas se te ofendi, só não mudei meu parecer por conta disso.
    Espero não ter magoado ninguém.

    ResponderExcluir
  3. Ly eu fico muitoooooo feliz com sua decisão serio. É tanta gente querendo fazer a gente desacreditar dos nossos sonhos, porque não tem coragem de seguir os dele...então talvez falte isso pro mundo CORAGEM, tem muita gente nadando na corrente, vamo pra contra mão, vamos inovar seguir nossas cabeças e ser feliz. Eu tenho certeza que você vai ser uma grande profissional ly.

    ResponderExcluir
  4. QUE LIINDOOOOOOOOOOO, obrg amr *-*

    ResponderExcluir

\õ/