14 de set de 2012

PARE DE RECLAMAR!



Desde bem nova, sou eu que preciso consertar minhas burradas.
Desde bem cedo, aprendi a errar e a levantar para tentar de novo.
Criei maturidade, cresci.
Desde os meus 9 anos não aguentava conversar com crianças da minha idade. Achava o papo fútil, sem sentido. Se quisesse me encontrar, era só me procurar aonde estavam os adolescentes e jovens.
Aos meus 10 anos de idade, já estava dando conselhos. Sabe aquelas crianças pirracentas? Que o pai não as deixa fazer algo e elas dizem: eu te odeio, eu quero que você morra! - pois então, elas vinham 'desabafar' comigo e eu já dizia: - não seja idiota, quando o seu pai morrer de fato, aí sim vai saber o quanto ele faz falta.
Não é que eu seja fria, mas para quem não tem o pai ao lado desde os 2 anos de idade, bem... a gente aprende a dar valor. 
Não reclamo de nada que me aconteceu, Deus escreveu cada centímetro do meu caminho com todo carinho. Quando converso com pessoas da minha idade, percebo que não tive parte da experiência deles.
E sinceramente? Acho mesmo, que não me faz falta.
Os assuntos são: bebedeiras, carnaval, festas, drogas, sexo.
Bem, enquanto tudo isso acontecia eu estava me mudando para BH de 'mala e cuia'... largando minha família e amigos da minha cidade para ir cuidar da minha mãe e investir nos meus estudos.
Então, essas festas de final de ano onde todos os familiares/amigos se reúnem para aproveitar... a maioria deles passei no hospital, ou então em casa torcendo para os foguetes acabarem logo para eu conseguir dormir. Acho que a coisa mais 'aborrecente' que fiz, foi fazer uma tatuagem escondida da minha mãe, porque naquela época ela estava internada e vejo o quanto foi burrice hoje. GRAÇAS A DEUS, não deu nada de errado... mas que tinha tudo para dar, tinha.
Escondido, com um cara que não conheço, que me cobrou 1/3 do preço e fez a tatto na garagem da casa dele. Pois é, viu só como agir inconsequentemente só poder dar merda?
Mas então, não ter um pai e ter uma mãe que é mais filha do que outra coisa... faz a gente crescer, na marra, mas faz.
Gostei muito de uma rapaz, que usou e abusou do meu sentimento e sofri muito por conta disso. Não precisei da 2ª vez para aprender que gostar, faz doer. Me tornei fria, beijava porque queria e largava quando bem entendia. Eu tinha muitas obrigações, precisava me sair bem na escola, decidir o que fazer profissionalmente, comprar e separar os remédios da minha mãe, prestar atenção nas atitudes dela para saber se ela estava bem. Ela tem esquizofrenia. Hoje está controlada, mas quando entra em surto... não queira ver isso nunca, sério. Então, aonde eu iria parar para lidar com algum namorado ou algo do tipo? Não, isso quer dizer pepino e de pepino eu tô CHEIA.
Nunca tive facilidade de falar sobre o que sentia... fiz terapia, conversava com amigos mas, nunca falava sobre mim. O blog me ajudou bastante, é quase meu mundo decifrado.
Aprendi a me virar assim, sem falar muito. E se surgia uma discussão: sem bate bocas, vamos diretamente ao assunto e á resolução. Oito ou oitenta.
Nunca fui de reclamar. Aquela frase: "Deus não nos dá provações que não possamos suportar", sempre me deixou animada. Eu sabia que Deus confiava muito no meu potencial, afinal... tanta coisa acontecendo e eu tinha que dar conta. Além de tudo que havia e que muita gente nem sabia (porque eu não era muito de falar sobre minha vida), eu ainda ouvia as minhas amigas e tentava ajudar da forma que podia. Mas confesso, que muitas das vezes que eu falava: calma, pensa direito e tal..., eu queria dizer: você tá aí chorando por um carinha, enquanto tem problemas de verdade rolando no mundo MINHA FIA. Você tá aí fazendo charminho com crise de identidade enquanto pessoas iguais á você estão trabalhando para sustentar a família.
AH, ME POUPE NÉ?
E por isso, sou assim até hoje.
Graças a Deus.
Quando minha mãe vem reclamar que escondi os cartões de crédito dela, mostro a realidade de certas famílias que tiveram que doar seus filhos porque não tinham condição de criá-los... a levei na Casa das Meninas, aqui em BH onde residem crianças e adolescentes que aguardam adoção.
Quando minha mãe vem reclamar que não pode comer doce por conta da diabete, falo que ela tem sorte de poder comer o resto. A levei na casa Céu Azul em Contagem, onde vivem crianças afetadas por paralisia cerebral e se alimentam por sonda.
TUDO NESSA VIDA, depende de como você vê.
Eu tinha tudo para me tornar uma pessoa depressiva, revoltada com a vida, procurar refúgio em drogas, sexo e rock and roll... mas eu passei a ver meus problemas, por outro ângulo.

Então, me faz um favor?
Para de reclamar da sua vida, dos seus problemas, das dificuldades.
Não venha me dizer que nada dá certo, que sua vida é péssima, que quer morrer e chutar o balde.
Não venha com tanto bla bla blá.
O que você encara, é o mínimo que pode fazer. Você pode muito mais que isso.


2 comentários:

  1. foi tipo uma via sacra da Ly, estio Don quixote, grande mentecapto aheuhauheauh...reclamar para tentar resolver os problemas é tipo inutil mesmo, pessoas desistem antes de tentar, isso me deixa desmotivado mesmo, mas prefiro ficar calado sobre isso, porque muita das vezes está pessoa sou eu. Infelizmente o ser humano é assim, tende a culpar os outros pelos fracassos e não a si mesmo !

    ResponderExcluir
  2. É, pimenta nos olhos dos outros... é vitamina de morango com ortelã.
    :P

    ResponderExcluir

\õ/